Da cidade sacra à cidade laica. A extinção das ordens religiosas e as dinâmicas de transformação urbana na Lisboa do século XIX

(1/1)
Designação
Hospício do Seminário do Varatojo (I)

Código
LxConv104

Sumário
Em 1685 os missionários franciscanos da Província da Terceira Ordem do Convento do Varatojo (próximo de Torres Vedras) conseguem, do Rei D. Pedro II, permissão para fundar um hospício em Lisboa. Instalado numas casas que o rei comprou para o efeito à Cordoaria Nova, próximo do Palácio dos Duques de Bragança (freguesia de Nossa Senhora dos Mártires), foi totalmente destruído com o Terramoto de 1755, passando os missionários para um novo hospício, à Cotovia.

Caracterização geral


Género
Masculino

Data de fundação
1685

Descrição


Enquadramento histórico
Localizado na freguesia de Nossa Senhora dos Mártires, o primeiro Hospício dos Missionários do Varatojo destinava-se a acolher missionários franciscanos da Província da Terceira Ordem do Convento do Varatojo (sito próximo de Torres Vedras), que não possuiam convento em Lisboa.

Foi fundado em 1685 por D. Pedro II que, para o efeito, comprou algumas casas na Rua do Tesouro, próximo da Cordoaria Nova. Segundo Júlio de Castilho, localizava-se "do lado do paço, isto é do lado oriental [da dita rua]. A sua frente formava um ângulo entrante obtuso com a propriedade contígua, e tinha de comprido, incluindo um pátio, trinta e oito varas e seis décimos de palmo (42m); de fundo tinha cinco varas, quatro palmos e seis décimos (6m,5)" (Castilho, Lisboa Antiga, Bairros Orientais, Volume VIII, p. 93/94).

Com a total destruição do edifício pelo terramoto de 1755, os religiosos reinstalaram-se numas casas na rua da Conceição à Cotovia, dadas para o efeito por D. José (LxConv123).

Cronologia


1685 Fundação por D. Pedro II que, para o efeito comprou algumas casas na Rua do Tesouro, próximo da Cordoaria Nova e do Palácio dos Duques de Bragança.
1755-11-01 O terramoto destrói totalmente o edifício.

Fontes e Bibliografia


Cartografia

FREITAS, José Valentim de; - [Plantas de Lisboa anterior ao Terramoto - estudos parciais e planta]. 18 plantas, Planta 2.

[Notícia estadística de Lisboa: ou breve notícia das cousas mais notáveis que Lisboa contém e planta da cidade de Lisboa].

Monografia

CASTILHO, Júlio de - Lisboa Antiga. Bairros Orientais, Volume VIII. 2º edição Edição. Lisboa: CML, 1937, pp. 93-94.

CASTILHO, Júlio de - Lisboa Antiga. O Bairro Alto. 3ª edição - dirigida, revista e anotada por Gustavo de Matos Sequeira Edição. Lisboa: Oficinas Gráficas da CML, volume II, 1955, p. 210.

CASTRO, João Bautista de - Mappa de Portugal Antigo e Moderno. Lisboa: Oficina Patriarcal de Francisco Luis Ameno, tomo terceiro, parte V, 1763, pp. 377-378.

PEREIRA, Luís Gonzaga - Monumentos Sacros de Lisboa em 1833. Lisboa: Biblioteca Nacional, 1927, p. 176.

PORTUGAL, Fernando; MATOS, Alfredo de - Lisboa em 1758. Memórias Paroquiais de Lisboa. Lisboa: Publicações Culturais da Câmara Municipal de Lisboa, 1974, pp. 183-184.

Material Fotográfico


Hospício do Seminário do Varatojo | Configuração de partes das fortificações antigas da cidade de Lisboa [...].


Inventariantes


Tiago Borges Lourenço - 2015-08-25


© in patrimonium .net
Câmara Municipal de Lisboa
 Data: 2022-08-16